20.12.16

Norte



Camisola Norte, tricotada com o fio Norte.Esta camisola nasceu  de uma ideia da Filipa Carneiro (Nionoi), que depois passou a ser um sonho das duas e agora se tornou realidade.

'' Esta é uma camisola ultra leve mas onde o frio e humidade não entram...são 300 gramas de puro conforto! inspirada pelo fio que lhe dá nome - uma lã cheia de carácter e pintada artesanalmente em cores vibrantes. O ponto mosaico utilizado no decote permite um jogo de cores divertido com um mínimo de técnica e trabalho envolvidos. Em vez do tradicional jaquard, aqui tricota com apenas uma lã de cada vez, sem confusões de fios e com um efeito final impecável. Tricotada em circular, a partir do decote, de cima para baixo e sem costuras.'' - Palavras da Filipa


E com o lançamento deste fio novo,  Norte, a loja foi actualizada.



15.8.16

Luxo

Duas vezes por ano carrego tudo e pinto fora da minha cozinha. É um luxo poder pintar sem ser numa cozinha num apartamento de uma cidade grande. Posso mexer-me mais livremente, o trabalho é mais intenso e fluído. Posso pintar só com energia solar, o que já tinha feito no verão do ano passado.
As cores vão nascendo ao ar livre. Ficam aqui algumas imagens.









29.7.16

De volta


Estou de volta ao campo para mais duas semanas intensas de tingimento.
E como é bom poder pintar aqui!

9.7.16

Último Glomma


Chegou assim ao fim a minha edição limitada se Glomma. Foram 6 cores de um fio de alpaca e seda, de onde já nasceram 4 xailes que podem ser vistos aqui. E está outro a caminho.

Agora só falta a aniversariante de hoje escolher o seu projecto.

15.6.16

Do 10 ao 13 de Junho



Este ano o calendário esteve a favor dos Lisboetas, o dia do país a uma sexta e o da cidade na segunda.
Resultado: um fim de semana de 4 dias em que rumámos até Sul do país para termos uns dias de família a 5.

Aproveitei não só para namorar a família mas também para pintar.
O bom tempo ajudou a secar as lãs em menos de um dia. Depois de um inverno em que a secagem demora vários dias, poder pintar, secar e fotografar tudo num curto espaço de tempo quase parece mentira.

Num dos passeios fomos até às salinas e escolhi esse lugar para fotografar. Muitas dessas imagens só serão publicadas no outono. As das meadas foram publicadas no Instagram e no Facebook.







14.5.16

Porque isto não é só pintar



É preciso encontrar os melhores fornecedores de matéria prima que tenham os fios com as características e qualidades que pretendo, procurar todos os outros produtos/material necessários, comparar preços, tratar das etiquetas, os sacos, os embrulhos, as publicações nas 300 páginas que existem online, mais tudo o que é burocracia, email, mensagens... várias tarefas capazes de levar uma pessoa à loucura.
Suspiro e grito na minha cabeça 'mas eu só queria pintar!' - fazer o que me dá prazer e me realiza, só é possível realizando tudo o resto e faço-o com todo o brio que me é possível e consciente de que este foi o caminho que escolhi, o que representa uma leveza sem preço.

De todas estas tarefas há umas que custam mais do que outras. Fotografar foi das que fui aprendendo a gostar, talvez pela exigência que ter uma boa fotografia representa quando se trabalha com cor. Os castanhos e os avermelhados muitas vezes ganham o tom do desespero.

O gosto foi ajudando mas esta ainda é uma grande montanha a ser escalada e como em muitas outras coisas, o prazer está muito no caminho a ser percorrido.